Papo de Expatriado Vida nos Estados Unidos

Green-card e entrevista da USCIS

Dia 19 de Maio, Quinta-feira, fomos até o escritório da imigração para a tão esperada entrevista para o green-card. Nós recebemos a carta nos convidando para essa entrevista mês passado, logo que informamos a mudança de endereço de Houston para Chicago. Pelo que li a demora para a entrevista é por problemas no Texas (muita gente aplicando para o green card por lá, eu imagino).

Pra nossa sorte, o escritório da imigração não fica muito longe de onde moramos, cerca de 15 minutos de caminhada. Nossa entrevista estava marcada para as 8:30 da manhã, mas eles recomendam que a gente chegue um pouco antes. Chegando no prédio da imigração, passamos pela segurança (igual de aeroporto) e depois fomos para a área de entrevistas. Eu esperava um lugar cheio de gente mas estava bem vazio na verdade, devia ter uns 5-6 casais no máximo. O Deniz foi até o guichê com a nossa carta, eles entregaram uma senha e pediram para a gente aguardar. Aguardamos cerca de 5-10 minutos no máximo e fomos chamados.

A nossa entrevista foi feita por somente um oficial, mas não sei dizer se isso é o protocolo normal ou não. Primeiro ele pediu para ver nossos documentos (passaporte, ID) e depois de conferir os documentos fizemos um juramento. Na mesa estava a nossa pasta, com todas as coisas que enviamos. Aí ele conferiu todas as informações, tipo nosso nome, data de nascimento, local de nascimento, o meu tipo de visto e etc. Ele foi folheando página por página do nosso processo e confirmando as informações. Como nós mudamos de endereço, perguntei se ele gostaria de documentos com nosso novo endereço. Ele disse que sim, aí entreguei pra ele a cópia do nosso contrato de aluguel, nosso seguro atualizado e mais um extrato atual da nossa conta bancária. Ele só checou os endereços e perguntou se poderia ficar com as cópias para anexar ao processo (dissemos que sim, claro). Nós já fizemos nosso tax-return e mostramos para ele também. Ele só olhou e fez as anotações e entregou de volta pra gente. Depois dessa conferência de documentos e informações ele fez as perguntas padrões do FBI (iguais quando a gente tira visto, sobre se você já cometeu crimes, se já cometeu atos de terrorismo e etc).

Depois que terminaram as perguntas, ele olhou nossa certidão de casamento original, pra comparar com a cópia que enviamos, deu uma olhada nas fotos que enviamos para ele junto com o processo e em algumas cópias de cartas que também tínhamos enviados; ele perguntou quem eram as pessoas nas fotos, falamos pra ele e foi só isso. Ele me pediu pra enviar pra ele uma tradução da minha certidão de nascimento notorizada (tinha enviado uma tradução que nós mesmos fizemos) e que assim que ele recebesse ele iria autorizar o envio do meu green-card para nossa residência.

Minha observação sobre a entrevista: não existe nenhuma razão para pânico. Acredito que para a grande maioria dos casos a entrevista seja desse mesmo jeito, mais uma conferência de informações do que entrevista propriamente dita. Se seus documentos estão corretos, se todos os pre-requisitos são preenchidos e, principalmente, se o relacionamento é verdadeiro, tudo vai correr tranquilamente. Eu comentei com o Deniz depois que saímos que eu tive a impressão que eles já meio que têm o seu caso classificado como pré-aprovado/aprovado ou suspeito quando você vai para a entrevista. E ele também achou a mesma coisa porque o oficial ficou mais tempo conferindo nossas informações e atualizando nosso endereço em cada um dos formulários do que querendo saber se a gente se conhecia de verdade sabe? No fim ele só perguntou onde o Deniz estava trabalhando agora e anotou novamente no papel do Biografics onde fala trabalhos.

Logo que voltamos pra casa comecei a pesquisar um local para fazer a tradução porque o oficial disse que se a gente enviar rápido, mais rápido ele consegue “fechar” nosso caso. Ele disse que não pode manter nossa “pasta” no escritório por muito tempo; que depois de um tempo essa pasta vai pra tipo um arquivo sabe? Aí quando eles recebem o documento, eles vão passar pra ele (ou um outro oficial) pra finalizar e solicitar o envio do cartão; e isso que atrasa os processos. Nós fizemos nossa tradução em um site chamado Rev e pedimos pra enviar a tradução pro nosso endereço (pagamos no total $53,00). Na Segunda-feira de tarde recebi pelo correio a tradução e como já estava tarde, deixei pra ir no escritório da USCIS no dia seguinte.

Terça-feira de manhã voltei até o escritório da USCIS pra entregar pessoalmente a tradução. Fui até a recepcionista que fica na área onde nos apresentamos pra fazer a entrevista e ela recebeu me deu um recibo. Ela também disse que ia entregar para o oficial; disse também que ele tinha passado lá pra saber se o documento já tinha chegado. O resto da semana passamos na correria porque os pais do Deniz estavam aqui e acabei me esquecendo de conferir no site se já tinha alguma mudança. Uma semana depois, dia 31 de Maio, me lembrei de checar e pimba! Finalmente, depois de 7 meses de espera, finalmente meu green card foi aprovado e já sendo produzido.

Agora só daqui dois anos preciso mexer com documentação para a USCIS. Esse primeiro green-card tem validade de 2 anos; daqui 2 anos tenho que enviar um formulário pra eles com alguns documentos e aí sim eles dão o green-card definitivo. Mas isso é papo pro futuro; porque agora é hora de comemorar. 🙂

You Might Also Like...

No Comments

Leave a Reply