Chicago

Um Pouco sobre a história de Chicago

Não tem como negar, chicago é uma cidade incrível. É linda, cheia de história e famosa por sua arquitetura. A cidade também é limpa e as pessoas em são bastante simpáticas. Chicago é a maior cidade do Meio-Oeste americano, terceira maior cidade dos Estados Unidos e dona de dois carinhosos apelidos The Windy CityThe Second City.

O nome Chicago tem origem em uma palavra indiana para um tipo de planta que crescia às margens do Rio Chicago. Várias tribos indígenas como Sauk, Fox, Patawatomi e Miami viviam nessa região até a chegada dos primeiros exploradores. A primeira expedição a chegar na área foi Marquette e Jolliet, em 1673; a primeira pessoa não-indígena a morar foi Jean Baptiste Ponto du Sable, que chegou por volta de 1780.  Em 1803 o exército dos Estados Unidos construiu o Forte Dearborn na margem sul do rio Chicago, que foi destruído em um ataque indígena em 1812 e reconstruído alguns anos depois. Em 1832 a guerra contra os Black Hawk foi encerrada, dando por fim anos de resistência indígena contra a ocupação da área. Em 1833 Chicago foi incorporada como uma cidade e desde então, só cresceu.

Em 1848 Chicago já possuía o primeiro telégrafo e estrada de ferro. Em 1854, já era o maior porto de grãos do mundo e tinha mais de 30.000 moradores, boa parte deles imigrantes europeus. A cidade não parava de crescer e expandir seu território até que, em Outubro de 1871, um incêndio destruiu 1/3 da cidade e deixou mais de 100.000 desabrigados.

The Great Chicago Fire

Ainda não se sabe ao certo como o incêndio começou, mas a seca, os ventos fortes e as construções de madeira contribuiram para que o fogo se alastrasse. Nessa época, mais de 2/3 de todas as construções em Chicago eram feitas inteiramente de madeira. Além disso, boa parte das casas e prédios eram cobertos por materiais que são inflamáveis e as calçadas eram feitas de madeira. Por fim, o corpo de bombeiros da cidade possuía apenas 185 bombeiros e 17 máquinas que eram puxadas por cavalos. Todos esses fatores certamente contribuiram para o desastre.

Nem mesmo o rio Chicago conseguiu bloquear a força do incendio. Na região existiam muitos depósitos de carvão e armazéns que se tornaram superaquecidos; a força do vento espalhou os detritos e assim, o incêndio que começou na área norte da cidade, chegou à região sul. Foi um caos e o pânico se espalhou pela cidade. Foi somente no dia seguinte, com ajuda da chuva, que o incêndio começou a ser controlado até cessar. A cidade ficou completamente destruída e somente 5 edifícios restaram: Chicago Water Tower, Chicago Avenue Pumping Station, St. Michael’s Church, St Ignatius College Prep e Police Constable.

Uma Metrópole surgida das cinzas

O incêndio em Chicago chocou os Estados Unidos e várias pessoas e empresas enviaram doações de alimentos, roupas. móveis e etc.  Várias cidades também juntaram forças e enviaram dinheiro e outras coisas necessárias para reconstruir a cidade. A necessidade de reconstruir a cidade era evidente e vários especialistas chegaram à conclusão de que era preciso melhorar as técnicas de construções das cidades para evitar que essa tragédia acontecesse novamente.

Foi então que a cidade começou a rever os protocolos para prevenção de incêndio o que acabou por fazer de Chicago uma das principais forças de combate a incêndios do país. Pouco a pouco, a cidade começou a se reerguer. O hotel Palmer House, que tinha sido completamente destruído, foi reconstruído e ainda hoje é sinônimo de luxo. Um fato notável é que apenas 6 semanas após a tragédia, mais de 300 edifícios já tinham começado a ser reconstruídos.

Com a cidade crescendo, também cresceram o preço das terras. E isso levou à construção de edifícios cada vez mais altos. Em 1885 Chicago presenteou o mundo com o primeiro arranha-céu, o edifício do Home Insurance Building.  Esse edifício é o marco do início de Chicago como uma cidade pioneira em arquitetura. Ao longo dos anos, mais e mais edifícios começaram a ser construídos na cidade fazendo de Chicago um verdadeiro “playground” para arquitetos. Até hoje a cidade é famosa por sua arquitetura, que arranca suspiros de qualquer pessoa que venha aqui.

Em 1893 Chicago recebeu a exposição Columbian, atraindo 20 milhões de visitantes para a “white city”, em referência aos edifícios com exterior de gesso construídos na região de Hyde Park, na área sul da cidade. Essa exposição comemorava a descoberta da América por Colombo e foi criado um plano urbanístico para a cidade chamado “Paris on the Praire”, incluindo amplas avenidas e parques.

Chicago carrega consigo diversos apelidos, porém, ss dois mais famosos são The Windy City e The Second City. O primeiro, The Windy City até parece fazer referência aos ventos fortes que se tem por aqui, mas a verdadeira origem vem do uso da palavra “windy” em um sentido metafórico, como se significasse prepotente. Em meados de 1800, esse termo apareceu em alguns jornais em referência à a cidade e, posteriormente, durante a disputa entre Nova York e Chicago para ver quem iria sediar a exposição Columbian. O outro apelido, The Second City, é na verdade um insulto à cidade, quando um artigo escrito por um jornal de Nova York se referiu a Chicago como uma cidade com cidadãos de segunda classe. Ao invés de rejeitar, a cidade adotou o apelido, naquela de “vamos provar que somos exatamente o contrário”.

Ainda hoje existe essa disputa entre Nova York e Chicago, que vai de prédios à pizza. Ainda não conheci Nova York, mas já soube duas coisas em que Chicago ganha: limpeza e simpatia. Mas isso é papo pra outro post. 😉

Até a próxima!

You Might Also Like...

No Comments

Leave a Reply